06

ago
Promessas

60e9ad10c0d4c7a0b4e3d107bd1a3edb

Acordei cedo, vesti meu melhor e único vestido e comecei a caminhada junto as outras crianças. Nossas idades variavam. Os mais velhos tinham treze ou quatorze anos e os mais novos ainda aprendiam as primeiras palavras. Em uma fila indiana desorganizada nos colocaram em frente a parede externa da igreja. Os adultos chegavam aos poucos, mas logo uma plateia de clientes havia se formado. Seria eu escolhida? E porque alguém me escolheria se minha própria mãe me abandonou? Me repreendi por esse pensamento na mesma hora. Eu sabia das dificuldades de minha mãe e que ela só queria uma vida melhor para mim. Sabia que ela me amava, afinal, ela esperou nove meses por mim e me deixou estar pronta para o mundo. E que mundo…

Aliás, deveria eu sorrir, ou uma careta que mostrasse minha inteligência seria mais eficaz? Eu só queria ser escolhida, ser boa o suficiente. A maioria das crianças experimentam essa sensação quando são escolhidas para um jogo de queimada, mas para mim era diferente. Para mim, ser ou não ser escolhida não era uma valorização de minhas habilidades, mas o fato de ter ou não ter uma casa, uma infância, uma família.

Meu coração quase explodiu quando chamaram meu nome. Alguém realmente me quis, isso não era maravilhoso? Em parte. Naquele dia vi meus irmãos serem escolhidos também e agradeci por já ter me despedido deles antes de ir para a cerimônia. Gravei cada detalhe de seus rostos em meu coração e orei para que Deus não me deixasse esquecê-los. Minha esperança era revê-los no céu, onde eu poderia viver com minha mãe, com meu pai e irmãos sem que a vida fosse difícil demais para estarmos juntos. Alimentei essa certeza por dois anos antes de vê-la novamente.

Minha mãe. Quando me deixou ela disse que voltaria, que me resgataria, e reapareceu justamente quando eu estava prestes a deixar de crer. Depois de tanto tempo ouvindo as palavras rudes da mulher que me escolheu esqueci da promessa de mamãe. Mas ela não esqueceu. Ela voltou, me tirou de onde eu estava e procurou meus irmãos. Nossa vida não foi perfeita, só será no céu, mas o que quero que saiba a partir dessa história é o seguinte: Assim como minha mãe não esqueceu sua promessa para mim, Deus não esquece as promessas que nos fez. Ele prometeu estar conosco (Mt 28:20), ele prometeu vida (Jo 10:10), e prometeu voltar (Jo 14:3).

Hoje, apesar de todas as dificuldades e toda a dor, lembre-se: Ele vai voltar para te buscar, e quer te resgatar ainda hoje. Então acredite, e não se esqueça.

‘’ Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.’’ – João 16:33.


Postado por Camila Veloso




Nenhum comentário