10

fev.
O Teste

1e79142c5b5057e1a7f072c77d29e16e

Talvez eu esteja assistindo muitos filmes ou simplesmente lendo demais, mas me perguntei o que aconteceria se eu fosse deixada com minha própria companhia para sempre. E se eu ficasse sozinha, isolada como a Rapunzel, em uma torre de pedra? Talvez não para sempre, é claro, mas por um tempo, para um teste.

No início desse meu questionamento pensei que seria forte, que tentaria escapar, e talvez realmente tentasse. Tentaria escalar, pular, descer, abrir portas, e todo e qualquer tipo de estratégia possível. Mas depois de um tempo eu descobriria que não sou mais forte que pedras, e que não vão voltar tão cedo. Que estou realmente somente comigo mesma, e então…. Ah, por mais que eu ame me achar a heroína sei que me entregaria facilmente a loucura.

Sim, eu seria louca em um piscar de olhos. Isso é muito triste? Sinceramente acho que na verdade é honestidade. Eu me conheço, muitíssimo, e por isso sei que a loucura seria um caminho fácil a se seguir. Porque este é meu trabalho. Eu escrevo e passo a maior parte do meu dia inventando, vivendo, e conhecendo pessoas que não existem. E pior, faço as pessoas se convencerem, mesmo que só por alguns segundos, de que tudo aquilo é verdade!

Agora pensem, queridos amigos, se eu convenço as pessoas de minhas histórias falsas então quanto tempo levaria para convencer a mim mesma? Não muito eu garanto. Em seis meses eu já estaria abrigada em um lugar confortável da minha mente, onde seria rainha, amante, guerreira e tudo o que desejasse. Construiria meu próprio mundo e viveria a vida mais feliz de todas. É loucura da minha parte pensar nisso? Que seria mais feliz sozinha e delirando do que no mundo real? Talvez. Mas para falar a verdade, minha vida não tem sido nada mais que imaginada, planejada, calculada …Mas não vivida.

Pensando nisso, talvez eu já esteja em uma torre. Talvez já esteja presa. Talvez já esteja louca. E talvez, mas apenas talvez, eles já estejam voltando. Sejam eles quem forem.


Postado por Camila Veloso
09

fev.
Vlog: Sobre o Primeiro Dia de Aula

DSC01096

Sim, essa foto está estranha, mas quem liga? Eu não ligo. Enfim… Gravei um vídeo com alguns clichês particulares do glorioso Primeiro Dia de Aula, que vamos combinar, nem sempre é tão glorioso assim.

E… Poxa, divirtam-se e me contem, como é, ou foi, ou era o primeiro dia de aula de vocês? Estou curiosa! =D


Postado por Camila Veloso
02

fev.
Fotografias que me Inspiram a Escrever

b7d3cd83cd58d0daf4f59e1afd089a03

Sabe aquele dia em que a gente está sem inspiração nenhuma para escrever? Pois então, eis o que eu faço para driblar essa sensação. Vou até o Pinterest ou Tumblr e procuro por uma foto que me peça uma história. Você vai saber quando achar sua foto porque sua curiosidade não vai te deixar ir embora. E então… Escreva!

Trouxe alguns exemplos que me deixaram curiosa. Vamos? 

415e0ddcc32861345f13e16359203571b76dc4bcd3ad607c5cd08b3be9369b2c92584789d739ee65f756e2e6fd14ab2fd0a0cc02ef23dcf0efbb166dccbdf1c6ec987bb4cd39a40d342473c3a72ef8f430b1b75ef95b07e5314afd44f0dbfc90f4bba89f9300d71c8f2f9e35189c91d5

E ai. Já tem algo novo para contar?


Postado por Camila Veloso
31

jan.
Amém

8f4a97cf7c4e415aeeea975263490606

Escrever sobre relacionamentos nunca é fácil. Nunca. Você pode buscar todos os clichês do mundo, e fingir que não se importa tanto, mas no fim do dia é parte de você que está ali, exposto. No fim do dia, o medo do julgamento alheio continua pertinho. E se for falar sobre relacionamento com Deus só piora.

Porque nós adoramos nos fingir de santos, de certos, de perfeitos, e a batalha diária do bem o do mal que se trava dentro de nós não é ganha todos os dias. Ou pelo menos o lado bom não ganha em mim todos os dias. Porque tem dias em que sou rude e mal-educada. Tem dias que me deixo levar pela gula, pela raiva, pela inveja e por tudo o que nego na frente dos outros.

Por isso os Sábados são tão adoráveis para mim. O quarto mandamento é o mais maravilhoso de todos, e confirmo isso a cada semana. Porque é o dia em que posso me dedicar inteiramente ao Bem. O dia em que me conecto com o Criador. O dia em que não preciso me preocupar com prazos, deveres, atrasos, broncas, e tudo o mais.

Houve uma época, confesso, em que os Sábados eram sinônimo de transtorno, e isso porque o inimigo joga baixo, queridos. Muito baixo. Sei disso. Entendi isso. Provei disso. Ele usa de seus amigos e família de um jeito sorrateiro, cria situações das quais você fugia, e se o bem não estiver ganhando…. Aí nós caímos, e caímos feio.

É claro que uma queda não significa o fim, Deus está sempre ali para nos ajudar a levantar. Mas será que aceitamos essa ajuda? Será que nos permitimos ser ajudados, ou a dúvida e o medo, e as palavras de alguém mal-intencionado nos enterram mais ao fundo?

Confesso que no momento me sinto caindo. Peço todos os dias forças a Deus, porque de outro modo… Simplesmente não consigo enxergar nada do outro lado, se é que esse outro lado existe. Mas eu quero aceitar a ajuda, e me forço em direção a isso todos os dias. Porque o bem é difícil, a vida plena é difícil. Já a morte…. Fácil.

Não sei bem o propósito deste texto, ou se fui clara o suficiente, mas se você se sentir caindo hoje…. Se permita ser socorrido. Todos precisamos de ajuda as vezes, e isso é normal. Então eu te peço, por você mesmo, que ouça aquela voz que sussurra. Abra seu coração para o amor divino. Amém?


Postado por Camila Veloso